08 Jun
Post by Agência Nov 3
Acessos: 76

Você sabia que muitos dos nossos objetivos poderiam ser alcançados se nossa comunicação fosse melhor? Melhorar a forma como conversamos com o mundo traz benefícios para sua vida e também para os negócios. Por isso, separamos algumas dicas para que você consiga melhorar a forma como se comunica com o mundo. Confira:

  1. Tenha uma meta: essa, talvez, seja a dica mais importante! Ter uma meta bem definida é o primeiro passo para que as coisas comecem a dar certo, inclusive suas conversas.

  2. Coloque o Interlocutor: colocar seu interlocutor como parte daquilo que está sendo debatido faz com que as pessoas prestem mais atenção em você e também se sinta inserido naquele universo.

  3. Pergunte: nada melhor para conhecer seu cliente, do que perguntar. Sua conversa será muito melhor direcionada caso você saiba alguma coisa a respeito da pessoa.

  4. Observe a sua linguagem corporal: veja se o que você diz está de acordo com o gesto que você faz. Pode parecer que não, mas a linguagem corporal conta pontos a favor quando você quer convencer alguém.

  5. Use exemplos: parta para a prática! Usar exemplos práticos ajudam a ilustrar o que você está dizendo e aumenta a sua capacidade de persuasão.

(Com informações de Revista Exame)

02 Jun
Post by Agência Nov 3
Acessos: 66

O mercado global tem apresentado um paradigma interessante no cenário empresarial: toda empresa grande quer ser uma startup, assim como toda startup quer ser uma empresa grande.

De um lado temos os modelos estruturados e maturados das grandes empresas, o que as garante uma segurança de investimento, possibilitando uma exploração de novas linhas de produtos e internacionalização de suas operações. Apesar da segurança e do grande porte, essas empresas não possuem flexibilidade operacional e política, ou seja, são sensíveis à concorrência e não conseguem se desvincular de seus costumes de gestão mais tradicionais.

Por outro lado, temos as Startups e seus empreendedores apresentando modelos de negócio inovadores em diversas áreas e, assim, dominando boa parte do mercado. Com essa estrutura, essas empresas têm grande facilidade em mudar seus planos de ação, se adequando de acordo com tendências na indústria e desenvolvendo produtos e serviços que se encaixem melhor nas necessidades de seus clientes. Mas, apesar dessa flexibilidade, as startups estão sempre em uma inconstância financeira por ser um investimento que precisa de novas estratégias a cada passo dado.

Analisando os dois modelos e destacando os pontos positivos de cada um, destaca-se a “mentalidade startup” que funciona como um catalisador fundamental para a transformação digital. A irreverência e flexibilidade das startups trazem uma visão empreendedora para os negócios, o que acaba mudando a abordagem da empresa, atingindo o mercado da forma que ele precisa. Tudo isso acontece para evitar a inércia, sair do óbvio e procurar o que melhor atende às necessidades do cliente.